“Bloodlines” de Richelle Mead – Resenha Bloodlines #1

19 jul

O sangue de Sydney é especial. Isso porque ela é uma alquimista – um de um grupo de humanos que mexe com magia e servem como ponte entre o mundo dos humanos e vampiros. Eles protegem os segredos dos vampiros – e vidas humanas. Mas o último encontro que Sidney teve com vampiros deixo-a em apuros com outros alquimistas. E agora com alianças em jogo, seu futuro está por um fio.

Quando Sydney é arrancada de sua cama no meio da noite, inicialmente pensa ainda estar sendo punida pela sua complicada aliança com a dhampir Rose Hathaway. Mas o que ocorre é muito pior. Jill Dragomir – a irmã da Rainha Moroi Lissa Dragomir – está em perigo mortal, e os Moroi devem escondê-la. Para evitar uma guerra civil, Sydney é chamada para atuar como guardiã e protetora de Jill, passando-se por sua colega de quarto no último lugar que imaginaria – um internato humano em Palm Springs, California. A última coisa que Sidney quer ser acusada é de simpatizar com vampiros. E agora ela precisa viver com um.

A Corte Moroi acredita que Jill e Sidney estarão seguras em Amberwood Prep, mas as ameaças, distrações e romances proibidos espreitam tanto o lado de fora – e dentro – do recinto escolar. Agora que elas estão escondidas, o drama é apenas o começo.

Depois do final frustrante de “Last sacrifice” comecei a ler “Bloodlines” imaginando e temendo o que esperar de mais um livro de Richelle Mead.

E tive uma surpresa verdadeiramente agradável.

Depois de ajudar Rose, Sydney foi afastada e esperava uma decisão dos Alquimistas sobre sua conduta. Mas, inesperadamente ela tem uma segunda chance e novamente ela terá que conviver com os Moroi e Dampiros.

Sempre me perguntei por que Sydney parecia nunca relaxar e porque os alquimistas tinham a ideia de que Moroi, Dampiros e Strigoi são tudo farinha do mesmo saco.Já no começo do livro muitas das minhas perguntas foram esclarecido dando um significado novo a muitas ações e temores de Sydney. Assim como também, surgiu novas perguntas após um vislumbre da relação de Sydney com seu pai, que é tensa , Compulsivas, muito tensa.

Temos também uma ideia do quanto Sydney é uma espécie de versão light dos Alquimistas – acreditem, a palavra “fanáticos” não cobre nem a metade em relação aos outros.

O que me decepcionou nessa nova série é infelizmente a volta da trama para a escola.Os personagens principais se formaram, pelo amor da Irmandade da Adaga Negra, evolui, Mead!

Richelle parece querer manter tudo “teen”, mesmo que a maioria dos leitores e fãs dessa série terem crescido alguns  anos e amadurecido em suas escolhas literárias.Mas, não pensem que o livro é ruim, Richelle voltou também com todos os elementos que me conquistaram desde seu primeiro livro “O Beijo das sombras”.

“BloodLines” é cheia de mistérios  e reviravoltas, romance e decepções amorosas.

Dois dos mistérios principais são apresentados bem no começo do livro: Quão perigosa é a situação de Jill e Lissa, e quão graves foram os ferimentos de Jill no ataque que obrigaram a esconder a princesa Moroi? Realmente existem os caçadores de Vampiros ou é apenas a invenção de um velho que não consegue superar a morte de alguém querido? O que Sydney deve a Abe, o pai de Rose, que mesmo depois de tudo que ela fez por Rose, ela ainda se amedronta dele?E não pensem que fica apenas nesses, tem mais, muito mais!

O romance e as decepções, bem, falar sobre isso é spoiler!

E então voltamos a escola… chato! Mas, por mais que doa admitir, essa parte da historia trouxe alguns elementos essenciais para a trama e mostrou que Sydney  tem fibra para ser uma personagem principal.  Apenas o seu conflito interno sobre o-que-é-certo contra o-que-ela- foi-ensinada-a-acreditar-em-toda-a-sua-vida é um pouco cansativo, assim como seu medo da magia é bem exagerado, mas não é algo que atrapalha em nada a leitura.

A presença de Adrian só faz com que você lamente, sem parar, o final de “Last Sacrifice”. É impossível não se lembrar dessa cena:

“— EU TE AMEI! — Ele gritou.

Ele pulou da cadeira com tanta rapidez que eu nunca vi isso chegar.

— Eu amei você, e você me destruiu. Você tomou meu coração e rasgou-o. Você pode muito bem ter me estacado! — A mudança de suas características também me pegaram de surpresa.

Sua voz encheu o quarto. Tanta dor, tanta raiva. Tão, ao contrário do habitual de Adrian. Ele chegou perto de mim, e bateu com a mão sobre o peito.

— Eu. Amei. Você. E você me usou o tempo todo.”

E sempre pensando nessa cena, não dá para se irritar, ou culpar, Adrian por seu comportamento típico e irresponsável no inicio de “BloodLines”. Vocês certamente querem saber da Rose não é? Ela aparece sim, mas, é apenas uma “participação especial” Richelle se focou nos personagens secundários do inicio ao fim.

Esse livro é para todos os fãs de “Academia de Vampiros” que se decepcionaram com o final da série e de como tudo terminou com Eddie, Jill, Adrian e Sydney.

Mas não pensem que finalmente iram ler um encerramento, porque o final de “BloodLines”…

“Adrian empalideceu e ficou perfeitamente imóvel, enquanto ele olhava para o recém-chegado (…).

E eu soube que a paz inquieta que tínhamos acabado de estabelecer em Palm Springs estava prestes a desabar.

Dimitri Belikov tinha chegado.”

… é apenas um novo começo.

Até o próximo post e em breve resenha do livro “The Golden Lily”.

Anúncios

10 Respostas to ““Bloodlines” de Richelle Mead – Resenha Bloodlines #1”

  1. Andy julho 19, 2012 às 8:02 pm #

    Sim sim, esse livro me surpreendeu também! e eu nem estaava dando mt credito! Agora estou super ansiosa pela tradução do proximo! *-*

    • Dayana Lopes julho 19, 2012 às 9:15 pm #

      Andy,
      Depois do final de “Last sacrifice” provavelmente muitos fãs não estavam dando credito. Vou ler “The Golden Lily” nos próximos dias e fazer a resenha para vocês fique ligada!

  2. Yasmin Dorneles julho 20, 2012 às 12:11 am #

    Aiii… confesso que Academia de Vampiros me deu preguiça da Richelle! estou sem ânimo pra ler essa série… mas quem sabe… rs…

  3. Angelita agosto 28, 2012 às 9:34 pm #

    Day… adoro suas resenhas, mas amo mais quando eu li o livro, porque assim posso partilhar do seu ponto de vista… Adorei o livro da Sidney… imaginei que seria uma historia envolvente.. os livros da autora sao sempre assim hehehehhee

    entao acompanhei Academia de Vampiro, foi a Rose que me mostrou que Crepusculo era chato hahahahhaa…. amei todos os personagens Jill, Ed, Adrian, Dimka, Rose a eterna impulsiva, entre outros… mas confesso que no final senti falta tambem de um fechamento para os outros personagens.

    mesmo com esse Spin Off… meio que tenho medo, todos os livros da richelle se tratam de triangulo, ela coloca sempre o protagonista como o cara sempre a baixo do concorrente, no final a mocinha fica com o chato, e agente sofre… nao perdou a Richelle pelo que fez com o Romam até hoje hahahhaha… se bem que a Eugene ela até mudou, mas odeio esse lance de triangulo.

    Mas voltando para o livro supracitado, estou com medo do que a Richelle vai fazer com o Adrian nessa série.. o pobre vai sofrer novamente até receber o “e viveram felizes para sempre” pq a Sidney vai ter um namorado e coisa e tal… hahahahhaa ninguem merece… mas vamos torcer para que todos os envolvidos tenham um fim dessa vez… confesso que tenho MEDO dos livros da Richelle, são literaturas fantasticas, mas…. no fim… broxantes….

    Adorei sua resenha

    bjoo

  4. Dayana Lopes agosto 29, 2012 às 10:02 am #

    Ang,
    Ei flor.
    Também adoro seus coments!

    Como toda escritora que se prese, Mead quer vender. Então acredito que o final – não tão final – de “Academia de Vampiros”- para os personagens secundários- foi intencional.

    A escrita da Mead é ótima, ela sabe nós envolver e seus personagens não deixa a desejar. Essa nova série seria perfeita se ela tivesse deixado seus eles crescerem como os leitores.
    Mas além de querer manter o público que conquistou ela parece querer mais adolescentes para se apaixonarem por seus livros teen.

    Uma pena realmente.

    Acredito que a maioria também pensa que esses triângulos irritam! Além do mais ambos os personagens tem tanta bagagem emocional, não era necessário acrescentar mais nada, absolutamente nada, na trama.

    Espero que melhore nos próximos volumes.

  5. Angelita agosto 29, 2012 às 8:03 pm #

    Entendi o final de Academia de Vampiro, que teria continuação e tudo, por isso nao sofri, pelo contrario, achei interessante, a Rose ficou com o Dimka, o que ja era meio que esperado….. mas…. quando li o final de Succubus, me bateu uma aflição danada… pq ela fez a mesma coisa…. tipo… e esse nao tem Spin Off… sumiu com o Roman, e nao deu um fim para o restante dos personagens…. hahahhaa eu sinto falta disso, nao só com ela, mas Stephenie Meyer fez a mesma coisa em Amanhecer… assim com outros… e um final ruim, pode detonar com toda uma série maravilhosa… ao menos pra mim, que quando leio me envolvo com todos os personagens hahahahahha até os viloes eu fico esperando o que vai acontecer kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Mais que concordo que ela escreve maravilhosamente, envolve, conquista e todos os personagens tem algo apaixonante…. por isso tenho medo do rumo dessa continuação, alem de considerar ela meio sadomasoquista…. adora um drama envollvendo sempre o triangulo huahauhahauha coitado do Adrian…. ja estou vendo… mas vou aguardar sua resenha do proximo livro, ja que ainda nao foi traduzido e nao sei como vai decorrer a trama…. e que trama, pq foi muito bom ler esse primeiro, sem contar que a Sidney é uma jovem admiravel…. adorei mesmo.

    Tambem acho que nao havia necessidade de acrescentar mais ninguem, pq a Richelle consegue trabalhar e muito com a questao emocional dos personagem, nos fazendo sentir como eles hahahahhha

    beijooooo

    • Dayana Lopes agosto 30, 2012 às 10:49 am #

      Ang,

      Eu realmente esperava algo diferente no final “Last Sacrifice” pensei que dessa vez uma escritora pudesse inovar. O Camarada nunca foi meu personagem preferido, e sonhar não custa nada né?

      Mas eu estou confiante que vou ter meu final inovador… Com toda a merda que o Kiyo fez no terceiro volume de Dark Swan duvido que a Eugênie vá ficar com ele. Se ficar eu vou oficialmente desistir dos livros da Mead.

Trackbacks/Pingbacks

  1. The Indigo Spell – O que esperar « Obsessão Compulsiva - julho 31, 2012

    […] Você pode conferir minha resenha da série Academia de Vampiros aqui e de BloodLines aqui. […]

  2. Quarto volume da série Bloodlines de Richelle Mead já tem titulo « Obsessão Compulsiva - novembro 16, 2012

    […] Resenha de Bloodlines #1 […]

  3. “Academia de Vampiros” – Adaptação cinematográfica finalmente dá noticias! « Obsessão Compulsiva - dezembro 18, 2012

    […] E a resenha do primeiro volume “BloodLines”. […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: