“Predestinados” de Josephine Angelini – Resenha Starcrossed #1

15 ago

Pode o amor estar definitivamente marcado no destino de duas pessoas?

E se ele for proibido? Se for amaldiçoado pelos deuses?

Helen Hamilton passou a vida inteira tentando disfarçar o fato de que é uma garota diferente, mas agora, aos dezesseis anos, isso está cada vez mais difícil. Não apenas por causa de sua força sobre-humana ou porque às vezes, sem motivo aparente, pessoas estranhas simplesmente a atacam, mas também porque ela teme que seu juízo esteja seriamente comprometido. Pesadelos recorrentes com uma estranha viagem pelo deserto e a visão de três mulheres derramando lágrimas de sangue a têm atormentado noite e dia. Ao mesmo tempo, um impulso inexplicável, incontrolável, passa a dominar seus pensamentos: Helen quer matar Lucas, um dos rapazes da glamorosa e misteriosa família Delos. À medida que descobre mais sobre sua verdadeira origem, ela percebe que a relação dos dois está submetida não só à sua vontade, mas a forças e tradições ancestrais.

A primeira coisa que senti quando comecei a ler “Predestinado” foi decepção. Impossível evitar o sentimento quando bem nas primeiras paginas descobrir que o livro é teen, não sei por que isso me surpreendeu tanto, mas considerando a sinopse imaginei algo bem diferente que o ensino médio.

Protagonistas com 16 anos não são minhas preferidas, elas tendem a despertar o pior de mim e é difícil gostar de um livro quando você deseja que elas morram.

Bem, depois do meu mimimi no facebook (kkkkkk fiz mimimi “mermo”) resolvi ler o livro só de raiva, e então depois da pagina 30, Helen e Lucas tem o seu primeiro encontro! E então bah! o livro me conquistou.

Antes de tudo, vou ter que falar da maneira como “Predestinados” me fez lembrar de duas sagas conhecidas, “Crepúsculo” e  “Os Instrumentos Mortais”.

A família Delos lembra muito os Cullen  –  eles chegam a cidade causando uma histeria estudantil por serem ricos lindos e misteriosos. Todas as garotas querem um dos irmãos ou primos Delos e o mesmo acontece aos garotos em relação as irmãs e primas Delos.Na família tem a mãe amorosa, o pai responsável e sensato, além de toda a dinâmica de “ a família e nossos ideais nos definem”.

Meu Delos preferido é o irmão grande e engraçado, Hector, que inevitavelmente lembra o Emmett:

“– Porque lutar é muito mais que força – disse ele, de maneira séria – O que é bom, se não Hector ainda seria capaz de me dar uma surra durante a luta.

– Eu ainda posso dar uma surra em você na luta – gritou Hector de dentro da casa.

Lucas deu uma gargalhada e balançou a cabeça enquanto caminhava para a cozinha.”

Tão Edward e Emmett esse dialogo.

Tem também a vidente que algumas vezes usa sua visão para saber se Helen ficará segura em casa. O Dom de Cassandra é totalmente diferente da Alice – e o contexto também. Mas, é difícil não lembrar da minha Cullen preferida lendo alguns diálogos entre Cassandra e Lucas quando o assunto é Helen e a necessidade de permanecerem longe um do outro.

Os turnos que a família Delos faz para proteger Helen e seu pai são tão similares com “Eclipse” que em alguns trecho substitua o nome dos protagonistas e você vai achar que está lendo o livro errado.

“Um pouco antes do amanhecer Lucas tocou o rosto de Helen para acordá-la. Quando ela abriu os olhos ele beijou-lhe a testa e disse que voltaria logo para levá-la para à escola. Então pulou pela janela (…)”

E pode ser loucura, mas nessa cena não tiro da cabeça que eles estão falando da Bella!

“– Eu só não queria ser aquela garota, sabe? A garota que faz qualquer coisa que o namorado manda porque quer que alguém tome as decisões difíceis por ela.

– Eu detesto aquela garota – disse Lucas com o nariz franzido (…)

– Todo mundo detesta aquela garota.”

Lembrei também de “Os Instrumentos Mortais” porque Helen cresce sem saber o que é, até que um dia tudo explode na cara dela e ela se vê jogada em uma guerra que não sabia que existia por culpa da mãe. O treinamento de Lucas e Helen traz lembranças de Jace e Clary e muitos outros aspectos semelhantes que não vou listar porque seria um spoiler bem “spoilerento”.

Não estou desmerecendo o livro, ele tem seu mérito, um grande mérito.

A historia é original no meio de tantos Vampiros/Lobisomens/bruxas/fadas/Anjos, e algumas semelhanças podem até ser coincidência, afinal, com tantos livros de “garotas de 17 anos vivendo uma aventura fantástica”  é impossível não ter similaridades entre elas.

O começo é meio clichê – você sabe, protagonista que odeia o lugar onde mora anseia a faculdade para sair de lá, blá blá blá, e o acréscimo da ex-melhor amiga popular que gosta de chama-la de esquisitona na escola, não é nem um pouco original,rsrsr,mas se você sobreviver a isso vai adorar o resto.

Uma coisa que percebi em livros mais adultos é o fato das personagens pensarem como uma pessoa normal em relação a sua aparência, sei que mulher tem suas “neuras” às vezes, apenas não entendo porque a maioria das escritoras teen pensam que para nos identificarmos com a personagem ela tem que ser tímida e sem autoestima?

Uma personagem forte e com amor próprio é melhor que uma chata que fica o tempo todo se depreciando e tem até mesmo vergonha de falar.

Mas, talvez haja esperanças, afinal, Helen inacreditavelmente melhorou depois que começou a se envolver com Lucas. Geralmente protagonistas de 16 anos ficam irritantes depois de pegar o gostoso da escola, como Helen era chatinha antes, foi um alivio ver como ela cresceu como personagem e não perdeu sua personalidade para fazer tudo que o namorado manda, além disso, ela é forte também, então, ou ele a obedece ou ela faz por si mesma.

“– Prometo que não digo nada pelo resto do caminho se você quiser. Só me deixe leva-la em casa – replicou Lucas, tranquilo.

Ela detestava o fato de ele estar calmo.

– Abra a porcaria da porta, ou eu a arranco! – gritou Helen de volta.”

Voltando ao assunto do começo chato, algumas coisa totalmente nada a ver no inicio de “Predestinado” não me fizeram simpatizar com o livro.

“Infelizmente a tímida Helen chamava muita atenção com seu metro e setenta e cinco, e não dava sinais de parar. Já tinha rezado para Jesus, Buda, Maomé e Vixnu para fazerem-na parar de crescer, mas ainda sentia nos braços e nas pernas as fisgadas quentes e os músculos distendidos de outro estirão noturno.”

Mais hein?

Outra coisa que me incomodou foi os mistérios bobos que a escritora parece ter usado para prender o leitor.

Se o primeiro capitulo é bom, você já esta garantido até o final, mas ficar colocando insinuações inúteis e referencias aos mistérios que  o leitor não vai entender durante todas as 50 primeiras paginas é completamente chato – e Angelini peca em relação a isso.  Eu quase desistir de ler devido algumas dessas insinuações. Não me entendam mal, é claro que mistérios são bons para a trama, mais bem na primeira pagina Helen diz que as pessoas a encaram por causa do seu rosto e não explica se é porque ela é feia, tem cicatriz, duas cabeças blá blá blá, e continua fazendo esse tipo de observação sobre ela mesmo sem dizer o porque o tempo todo, é irritantes demais.

Não pensem que depois de tudo que listei, eu não gostei do livro, rsrsrsrsr (sou estranha mesmo!) quase todas as reclamações  que fiz acontece bem no inicio de “Predestinados” e como disse lá em cima o primeiro acontecimento que me prendeu e me fez continuar foi o encontro dos protagonistas e depois desse encontro Compulsivas, temos uma historia fantástica de fantasia onde a mitologia grega é cenário.

Adoro a historia da guerra de Troia e assim que vi essa palavra pela primeira vez, comecei a refletir sobre o significado do nome Helen.

Angelini desenvolveu um romance incrível, com personagens fantásticos retratando de forma bem humorada a relação de uma família com jovens poderosos e trazendo para os dias atuais de forma intensa o romance que desencadeou uma guerra que durou 10 anos.

O humor do livro é ótimo e me conquistou. Você já imaginou como seria uma família com filhos adolescentes que tem super poderes?

Atropelando uns aos outros com o carro, brigando até a inconsciência e afogando um ao outro para ensinar uma lição. É isso mesmo! Kkkk eu adorei essa cena.

“Depois do incidente “Hector tentou me afogar e por isso arruinou meu celular”, Lucas de modo fraterno, tinha dado uma surra no primo na arena recém-construída, e uma hora depois Hector sem dente dera a ela uma telefone novo.”

Agora, sobre o teen da historia que não dá para esquecer durante a leitura,mas depois das primeiras paginas ele para de ser retardado e ganha até algumas insinuações bem descaradas!

Para os mentes sujas de plantão (eu, eu, eu!)isso foi durante uma cena de luta:

“– Bem, que pena – Respondeu Hector enquanto se levantava de entre os joelhos dela. – De jeito nenhum eu vou deixar você entrar aqui, meu irmão, então pode esquecer.

Ele gesticulou para o corpo dela deitado de bruços e as pernas abertas e levantou as sobrancelhas. Helen começou a rir como uma louca.

–Você não tem nada com o que se preocupar, Hector! – conseguiu soltar Helen – Confie em mim.

(…) Helen ouviu uma risada familiar fora do ringue

–Preciso dizer, Len, que achei que você não abriria as pernas para alguém tão facilmente, mas parece que Hector aqui não está tendo dificuldade alguma. – provocou Claire.”

Rir horrores quando Helen descobriu que sua melhor amiga tinha usado “acidentes” para testar suas suspeitas de que ela não era normal. Com uma melhor amiga como Claire não precisa de nenhum inimigo para tentar matar você.

Não posso esquecer do Lucas… ai ai… ele seria o protagonista de todas as minhas fantasias, e meu desejo adolescente mais ardente! Posso descreve-lo com poucas palavras: “Apolo”, “Deus grego” “Gostoso pra caralho!” pode escolher a que combina mais com você!

Os outros personagens femininos do livro também concordam comigo!

“– Um, ele é maravilhoso. Dois, ele é tão maravilhoso que você precisa falar isso duas vezes.”

“– Uau! – Foi só o que Kate conseguiu dizer depois de alguns momentos sem palavras – Ele é… Uau! Eu poderia ser presa até mesmo por pensar o que estou pensando.”

O livro é teen, então não tem cenas hot, uma pena, mas, por não ser um triangulo amoroso – obrigado Deus por isso – esse pequeno detalhe não parece tão importante para mim.

Recomendo esse livro para as Compulsivas que gosta de mitologia grega, romance impossível que pode desencadear uma guerra, lutas bem humoradas, maldições, mistérios e super poderes!

Li o e-book para fazer a resenha, mas esse eu também pretendo comprar sem demora.

Nota : 3/5 colares em forma de coração.

P.S. Quase esqueci de avisar: Infelizmente “Predestinados” parece ser mais uma “ Saga da Virgindade”.

Anúncios

7 Respostas to ““Predestinados” de Josephine Angelini – Resenha Starcrossed #1”

  1. Yasmin Dorneles agosto 15, 2012 às 1:33 pm #

    kkkkkkkkkkkkk… Adorei a resenha Day… quero ler! mas “saga da virgindade” foi triste! rs… bjs…

  2. Angelita agosto 15, 2012 às 6:26 pm #

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk adorei a saga da virgindade…
    Day adorei a resenha, mas uma vez você aparece na escrita, humor e personalidade, são suas caracteristicas guria.

    Bom, se tudo que você colocou que lembra Crepusculo for das partes boas, não tem problema pegar a ideia kkkkkkkkkkkkk

    Fiquei mais que aliviada de nao ser triangulo, mais ainda pela guria crescer no decorrer da trama, mais ainda por ser um livro de mitologia e se seguir sua escrita, cheio de humor… vamos ver… esse eu quero ler, se conseguires, me envia hehehehhe assim leio… tomara que nao seja uma série muito longa. Não tenho muita paciencia em esperar o proximo lançamento hhahaha

    Concordo com sua critica, em relação as autoras, por colocarem as adolescentes de forma que suas virtudes e qualidades só apareçam quando outras pessoas afirma e reafirmam que existe tal atributo, do contrario, ela sempre sao estranhas, feias, autoestima extremamente baixa e por ai a fora.

    bem… concordamos que a Alice foi a MELHOR MELHOR DO MUNDO em crepusculo hehhehehe

    beijoooo

    • Dayana Lopes agosto 18, 2012 às 2:06 pm #

      Oi Ang,
      desculpa pela demora em responder seu comentário.
      Fico feliz que você gostou da resenha.

      Bem, você já sabe minha opinião em relação aos livros teens…dá preguiça só de pensar. Mas a exceções e esse livro é uma delas.

      Vou enviar o link para você.

      A Alice deveria ser protagonista… porque com certeza é a melhor do livro,junto o Emmett é claro!

  3. Ingrid Rosa Figueiredo dezembro 17, 2012 às 4:54 pm #

    Me interessei pelo livro por causa da história de Tróia, achando que iria entender Ilíada e Odisséia (segundo a autora, era essa a intenção) mas.. caraca! tinha horas que euficava completamente perdida no trama, precisava voltar várias páginas para entender (e esse tem um final épico – primeira diferença de Crepúsculo).Fora que em alguns trechos senti muita falta de mais descrições.
    De início não curti muito Claire… Mas depois eu simplesmente a idolatro rsrs (Lembrando nada da persona Jéssica, segunda diferença da de Crepúsculo). Ainda bem que não fui a única a ficar pensando em Crepúsculo toda hora…
    Ahh Luke ❤ Ele tem todas as razões (de verdade… e não apenas por frescura) para não ficar perto de Helen… Mas eles são lindos juntos. *–*
    Esperava bem mais do livro (Mas achei este também engraçado), a história foi mais sobre a descoberta de alguns poderes de Helen e das maldições e o lindo amor dos dois.
    Se não me engano, haverá um triangulo amoroso… Interpretei isso, principalmente, a partir da cena em que contam a maldição (medo de contar spoiler… mas isso tem a ver com o nome de Helen, e o de Lucas… Mais o fato de Cleon gostar de Len).

    E…"Saga da virgindade"?
    Essa foi excelente kkk =)

    • Dayana Lopes dezembro 17, 2012 às 5:35 pm #

      Ingrid,
      Bem vinda ao blog.
      Eu realmente gostei de “Predestinados” e realmente no segundo um triangulo amoroso se formou. A Yasmin leu e gostou, e isso é inédito, porque ela odeia triângulos! Ainda não li o segundo mas já tive tanto spoiler que consigo esperar pacientemente,rsrsrsrsrsr até a Intrínseca lançar o segundo volume.

Trackbacks/Pingbacks

  1. “Goddess” – Capa e sinopse do terceiro volume da série Starcrossed, de Josephine Angelini. « Obsessão Compulsiva - outubro 29, 2012

    […] Você pode ler minha resenha aqui. […]

  2. Capa e Sinopse de “Goddess” último livro da Trilogia Starcrossed « Obsessão Compulsiva - dezembro 17, 2012

    […] Vocês podem conferir a resenha de Predestinados que a Dayana fez clicando AQUI! […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: