Amante Liberto (IAN #05) – J. R. Ward

28 ago

Livro do tão adorado e desejado Vishous! Sim Braseel! Muitas garotash são loucas pelo V. e esperaram muito pelo livro dele – Eu, por exemplo – mas confesso que esperava mais, porque tinha muito potencial para ser um dos melhores volumes da série, mas parece que a Ward tem um certo bloqueio com o V. Tanto que a história do Vishous e da Jane teve um grande desfecho no livro da Payne, mas isso é assunto para outro post! rs… obs.: Existem spoilers nessa resenha, não consegui me conter!

Editora: Universo Dos Livros

Sinopse: Nas sombras da noite em Caldwell, Nova York, a guerra explode entre vampiros e seus assassinos. Há uma Irmandade secreta, sem igual, formada por seis guerreiros vampiros, defensores de sua raça. O coração gelado de um predador será aquecido mesmo contra a sua vontade… Destemido e brilhante, Vishous, filho de Bloodletter, possui uma maldição destrutiva e a capacidade assustadora de prever o futuro. Criado no campo de guerra de seu pai, ele sofreu maus tratos e abusos físicos e psicológicos. Membro da Irmandade, ele não se interessa por amor nem emoção, apenas pela batalha com a Sociedade Redutora. Mas quando uma lesão mortal faz com que fique sob os cuidados de uma cirurgiã humana, a Dra. Jane Whitcomb, ele é levado a revelar a dor que esconde e a experimentar o verdadeiro prazer de pela primeira vez… Até que o destino, que V. não escolheu, o leva para um futuro do qual Jane não faz parte.

Vishous é um guerreiro com profundos traumas que o tornaram completamente inapto para lidar com qualquer tipo de sentimento, esses traumas são decorrentes de crescer e se tornar um Guerreiro no acampamento de treinamento do seu pai já morto, um famoso e temível Guerreiro chamado Bloodletter, a sua experiência no acampamento foi brutal e devido a elas V. desenvolveu certas perversões e nunca aceitou completamente a si mesmo. Vishous é bissexual! Sim! Aceitem, a verdade liberta! Existe um real motivo para a bisexualidade delemas isso não muda o fato… Ele era atraido pelo Butch, assim como ele tinha amantes mulheres que o serviam… Claro, até encontrar a Jane. #Ui

“Butch mostrou-se entediado.

– Pega aqui ó.

Bem que eu gostaria, V. pensou.

Fazendo uma careta, ele apanhou seu saco de tabaco turco. Enquanto pegava um papel para enrolar o fumo, organizava o tabaco e produzia uma cigarrilha, fez o que passava muito tempo fazendo: Lembrou-se que Butch estava em um bom relacionamento com o amor de sua vida e que, mesmo que não estivesse, o cara não jogava naquele time.” (pág. 21)

“(…) Apesar de ser um sádico por natureza, não sentia prazer algum em ferir suas subordinadas. Seu lado sádico era satisfeito matando redutores.

Para ele, ter o controle da mente e do corpo delas era o mais importante. As coisas que ele fazia com elas, sexualmente ou não, aquilo que dizia, o que pedia que vestissem… tudo era cuidadosamente calculado. Sim, havia dor presente, e sim, talvez elas chorassem por vulnerabilidade e medo. Mas imploravam por mais.

E ele lhes dava mais, se sentisse vontade.” (pág. 36)

Jane é uma médica, inteligente e totalmente racional – parecida com o Vishous nesse ponto – que acaba entrando em um mundo totalmente desconhecido depois de operar o V. e ele exigir que ela fosse levada a Irmandade, ele tem uma vinculação do tipo “MINHA” depois de ouvir a voz dela por… 5min… rsrs… claro, não é como se ele aceitasse isso muito bem.

“(…) Duas vozes. A de uma fêmea e a de um macho, e ele não reconheceu nenhuma delas.

Não, espere. Ele conhecia uma delas. Uma já havia lhe dado ordens. A fêmea. Mas, por quê?

E por que diabos ele havia permitido?

(…) Seu plano de fuga foi interrompido quando seus instintos dispararam e assumiram o controle da situação.

Mas nao era o guerreiro que estava se mostrando. Eram todos aqueles impulsos possessivos de macho que sempre permaneceram adormecidos, aqueles sobre os quais ele havia lido, ouvido falar ou testemunhado nos outros, sem o qual acreditava ter nascido. O que acionou seus instintos foi o odor na sala, o cheiro de um macho que queria sexo… com a fêmea, com sua cirurgiã.

Minha.

(…) – Não há maluquice alguma nisso – a voz do homem era grave e forte, e ele olhava fixamente para a cirurgiã de V. – Sei o que quero. E quero você.

Minha, V. pensou. Não sua, MINHA.

(…) – Isso não é um não, certo Jane? Não é.

– Não… não é.

– Ótimo – o macho humano olhou para V. e pareceu surpreso. – Alguém acordou.

Pode apostar que sim, V. pensou. E se tocar nela, vou arrancar seu braço com os dentes.” (pág. 108)

Também tem o fato do Vishous finalmente descobrir quem é sua mãe, nada mais nada menos do que a não-tão-Virgem Escriba, e que ele teria de se tornar o Primaz e se reproduzir com as Escolhidas para gerar mais Irmãos e Escolhidas. E tudo isso contribuiu para aumentar sua confusão mental exponencialmente. #MomentoDeTensão

Depois dessa grande descoberta, V. acaba levando um tiro no peito e vai para um Hospital Humano, onde a Dr. Jane o opera… Depois disso quando ela é “sequestrada” e levada pra mansão da Irmandade fica facinada com a perspectiva de existir outra raça… e acaba se envolvendo com o V. Existem cenas muito quentes nesse livro… além de ter muita tensão com o fato da Jane ser humana, o V. o Primaz… é um longo caminho até tudo se resolver…

Zsadist e Bella aparecem um pouco, ela tem algumas complicações na gravidez. Phury, pobrezinho, ainda vai enfrentar um longo caminho até estar bem e recuperado, mas nesse volume ele aparece e a Ward começa a nos mostrar um pouco a perspectiva dele das coisas. Também temos a transição do John.

Eu não vou falar mais, porque o post já está muito grande, mas eu não preciso nem dizer que AMO Amante Liberto né?! Achei que a Ward poderia ter finalizado de forma diferente? Sim. Achei péssima a forma como a Ward resolvel o fato da Jane ser humana? Sim. Mas eu simplesmente gosto muito desse casal, eles são perfeitos juntos. Então acabei me acostumando. Vou deixar vocês com um trechinho que é simplesmente muito quente!

“- Oh… Deus…

– Rezar não vai ajudar. Tarde demais para isso, Jane. – Havia arrependimento e também um tom irônico em sua voz. – Eu dei a você a chance de fazer a coisa do seu jeito. Agora, elas serão do meu jeito.

Ela queria aquilo. Ela o desejava.

– Por favor…

– Shh. – Ele virou sua cabeça para o lado com um movimento do braço, expondo seu pescoço. – Quando eu quiser que você implore, vou dizer. – A lingua dele era quente e molhada e percorreu o pescoço dela. – Agora pergunte o que vou fazer com você.” (pág.284)

“E então ela sentiu a mão com a luva em seu ombro. Quando ele a puxou para que ficasse de pé, continuou com movimentos certeiros, dentro e fora, dentro e fora. Levou a mão ao pescoço dela, segurou seu queixo e puxou a cabeça para trás.

– Minha – ele rosnou, penetrando-a.

Então a mordeu.” (pág.287)

Banho gelado depois dessa…

As capas original e nacional são bem diferentes né? Eu gosto da capa brasileira.

E aí meninas, gostaram? Já leram? Comentem! Beijos e até a próxima Obsessão!

Anúncios

10 Respostas to “Amante Liberto (IAN #05) – J. R. Ward”

  1. Juliana agosto 28, 2012 às 9:55 am #

    Eu tb esperava mto mais do livro do V, mas não necessariamente a mesma coisa q vc, kkkkkkkk… Ótima resenha e mal posso esperar pela resenha do livro do Phury!

    • Yasmin Dorneles agosto 28, 2012 às 1:08 pm #

      kkkkkkkkkkkkkkkkkk… o que vc esperava mais Ju? mais SM? rsrs…

      • Juliana agosto 28, 2012 às 1:54 pm #

        O q é SM?

      • Yasmin Dorneles agosto 28, 2012 às 2:53 pm #

        kkkkkkkkk… mais Sadomasoquismo da parte do V. rs…

  2. Claudiana agosto 28, 2012 às 7:42 pm #

    Realmente a Ward tem um grande bloqueio com o V, que da para ver bem claro nesse livro, mas como gosto MUITO dele, aceitei o final tbm, amei a resenha, ahhhhhh maldade sua colocar so um pedaço dessa cena, para eu é a melhor cena de sexo de todos os livros, rsrsrs

    • Yasmin Dorneles agosto 28, 2012 às 11:15 pm #

      kkkkkkkkkkkkkkkkkk… a do banheiro né? tb ADORO! rsrs… bjs…

      • Claudiana agosto 31, 2012 às 4:47 pm #

        Sim, a do banheiro, uiii…. na primeira vez que li fiquei na duvida, se ele estava falando com ela, ou comigo… kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      • Yasmin Dorneles agosto 31, 2012 às 6:27 pm #

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk… Aff… aquela cena é de matar! Uiii…

  3. audrey agosto 28, 2012 às 9:16 pm #

    Eu não gostei do livro quase tive um infarto lendo e esperei como todas muito mais dele,
    A Ward não tem bloqueio com V ela não consegue é dar uma boa historia a ele … (odio dela )rsrsrs enfim não reli e nem vou não vale a pena e Yas sua resenha esta otima …

    • Yasmin Dorneles agosto 28, 2012 às 11:18 pm #

      kkkkkkkkkkkk… ah su… eu até gosto do livro apesar de ter esperado mais… e tem coisas q ficaram mt assim… uma hra nesse livro ele fala de cerimonio de vinculação… mas chega no livro da payne ele não tinha feito isso ainda… sabe… a ward deixou a desejar… principalmente com o final da jane… mas ok… me acostumei já… rs…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: