Amante Libertada (IAN #09) – J. R. Ward

7 dez

EAmante Libertadaditora: Universo dos Livros

Sinopse: Payne, irmã gêmea do guerreiro Vishous, é finalmente libertada de sua mãe (a Virgem Escriba) e se revelará uma lutadora por natureza, descobrindo sua verdadeira essência. Ao sofrer uma lesão que a paralisa, o cirurgião Manny Manello é chamado para curá-la. Embora nunca tenha acreditado em vampiros, ele será logo sugado para o secreto e perigoso mundo da Irmandade dos vampiros-assassinos e seduzido por esta misteriosa mulher que precisa salvar. À medida que Payne e Manny descobrem que têm mais do que uma ligação erótica, eles precisam enfrentar o choque entre os mundos e uma dívida de séculos atrás que será cobrada de Payne e colocará tanto seu amor como sua vida em perigo. Uma paixão arrebatadora que promete ser quente… Essa ligação erótica entre os dois universos poderá se concretizar?

Em Amante Libertada Payne, que sofreu um acidente lutando com o Wrath, se liberta de sua mãe a Virgem Escriba, que a mantinha aprisionada, mas ela saiu de uma prisão para outra quando descobre que pode ficar paralítica. Jane vai buscar o Dr. Manello que é o melhor cirurgião ortopédico especializado em coluna que existe para operar Payne e assim conseguir salvá-la, é em meio a esse drama que o casal principal se envolve e acaba criando um grande vínculo.

Payne não aceita nada bem a paralisia, e é o Manny que a ajuda com isso. Ela pensa até em suicídio não querendo ficar presa outra vez… E nesse incentivo e ajuda – fora a atração imediata – o Dr. e a Guerreira se apaixonam. Payne tem um poder parecido com o do Vishous, mas ela pode manisfestá-lo por todo o corpo, uma luz, não é fatal igual a mão do V, mas é essa luz que a curou, e ela geralmente manisfesta quando está excitada observando o Manny… rsrs… Bem, depois de um bom drama, ela consegue se recuperar. Claro que também não aceita ficar na mansão, Payne é uma guerreira e não uma escolhida!

O poder da Payne teve um efeito colateral com o nosso Dr., ele acabou rejuvenescendo, um homem com mais de quarenta anos agora aparenta estar no auge dos trinta. É essa a solução que a Ward criou para ele continuar humano e em um relacionamento com um ser que vive séculos, e claro como humano não poderia estar fora da mansão, teria de viver junto com os irmãos e fazer parte do mundo deles. Eu preferiria que o Manny tivesse escolhido virar vampiro como o Butch, e para quem não sabe, o Manny é irmão do Butch, pelo visto o pai vampiro deles curte pegar enfermeiras desavisadas. E existe algo não explicado também, Payne não pode viver de sangue humano, então o que, o sangue do Manny é turbinado? Ficou essa questão aí… se alguém souber, me fala por favor! rsrs…

Dr. Manello e Vishous não tem um início muito bom, e apesar do momento tenso pré-operação, as discussões entre os dois são ótimas! Bem, depois da operação a relação entre eles não melhora muito também! rsrs…

“Olhou por cima do ombro, em direção ao cara de cavanhaque.

– Vai precisar sair daqui, amigo. Quero você fora, no corredor.

A reação que teve depois disso foi… simplesmente fantástica, principalmente se fosse um dentista: o desgraçado exibiu um par de caninos tão longos quanto seu braço e rosnou, em alto e bom som, como um cachorro.” (pág. 72)

Vishous não sabia da existência da sua irmã e podem imaginar como nosso guerreiro vai reagir ao descobrir… Ele fica louuuuco! rsrs… É nesse momento que tenho que dizer… eu sinto que esse livro é quase uma continuação de Amante Liberto, é nesse volume que finalmente conseguimos uma conclusão para a estória do V., onde ele supera, de certa forma, seu problema masoquista, seus traumas do passado com o Bloodletter, onde o vemos finalmente se abrir de uma forma mais profunda com a Jane… Descobrimos que eles não haviam feito uma cerimônia de vinculação, ou seja, Vishous não tinha o nome da Jane nas costas, fiquei chocada e chateada com essa notícia, mas eles resolvem esse detalhe! Enfim… o livro é 50% Vishous, se não for mais!

Nesse volume o Bando de Bastardos são apresentados, Xcor que pensava ser filho do Bloodletter é o líder, e ele é bem atormentado, tem uma ideia maluca de matar MEU-rei-lindo-e-maravilhoso-Wrath, e assim poder governar! Throe que é filho de um Irmão mas foi criado junto com a glymera no Antigo País é o segundo no comando, e é quem realmente pensa e planeja tudo, apesar de sempre obedecer o psicopata, e temos o Zypher que é quase um Rhage, lindo, bom de luta e tão promíscuo quanto o Irmão era, existem outros membros no Bando mas eles não aparecem muito.

Bem, no geral eu gostei muito do livro, ele tem um segmento diferente, é como se a Ward estivesse levando a história a outro patamar agora, os Redutores ainda são inimigos, mas os Bastardos também são, existe uma grande fissura na glymera e muitos casos de traição contra o Rei, essas mudanças e evolução na série são ótimas e já estou ansiosa para saber o que vai acontecer!

Eu sempre ouço reclamações quanto às histórias dos Irmãos, desde o livro do Phury, Amante Consagrado, que é um dos menos queridos entre as fãs… Amante Meu, livro do John… Amante Libertada da Payne e até em Amante Renascido do nosso querido Tohr… Bem, dizem que a Ward se perdeu na história, que os livros não são mais os mesmos… blá blá blá…

Olha eu não gosto de várias decisões que ela acabou tomando ao longo da série, algumas me chateiam até hoje, embora já tenha aceitado, como Jane sendo um fantasma (essa foi a pior), o livro do Vishous ficou sem um final de verdade… Manny continua humano… No’One/ Autumn para nosso Tohr?! Mas não tem como dizer que ela nunca foi coerente nas decisões que tomou… e apesar de tudo a história é fantástica! Sim, eu sou fã, mas não sou suspeita para falar, enxergo sempre as pontas soltas – e existem muitas.

Amante Libertada capas

Eu gostei muito da capa, prefiro a nossa do que da versão em  inglês. A tradução do livro está muito boa, não tenho nada a reclamar, a UDL já deixou de suavizar cenas a alguns volumes, portanto está ótima a edição.

Eu já falei que sou fã da Irmandade, indico totalmente, mas para quem se interessar, leia a série toda pois existem muitas informações necessárias ao londo dos livros, você ficaria perdido se começasse a ler a série nesse volume.

E aí meninash, já leram? Gostaram? Comentem!

Beijos e até a próxima Obsessão!

Anúncios

8 Respostas to “Amante Libertada (IAN #09) – J. R. Ward”

  1. Ana Mayara da Silva dezembro 7, 2012 às 12:03 pm #

    Fiquei com vontade de ler! Esse era um dos que menos me dava vontade, mas a sua resenha me animou muuuito. Mas só vou poder comprar ano que vem 😦

    • Yasmin Dorneles dezembro 7, 2012 às 12:31 pm #

      Eu gostei muito do livro… rsrs… algumas questões se resolvem… ficamos com dúvidas em outras… enfim… WARD! rsrs…

  2. Joely dezembro 9, 2012 às 9:39 pm #

    Yasmin,

    amei a resenha!
    E você sabe que eu sou suspeita, né? Amo IAN….
    Acho que, como você bem colocou, o livro da Payne deu uma guinada para melhor na história, que vai culminar com o livro seguinte, o do Tohr, que é um dos meus preferidos!.

    beijos.

    • Yasmin Dorneles dezembro 9, 2012 às 11:16 pm #

      Oi Joely, eu tb sou apaixonada por IAN… e tb amei o livro do Tohr… agora estou morrendo de ansiedade pelo livro do Qhuinn e Blay… OMG… não vai chegar março nunca! rsrs… bjs…

  3. Valerie dezembro 18, 2012 às 3:23 pm #

    Amei esse livro… Ou melhor todos os livros publicados até agora são ótimos. Estou ansiosa para o do Blay….=)

  4. Elaine dezembro 25, 2012 às 7:36 pm #

    Amo IAN!!! Definitivamente tenho dificuldades em escolher o meu livro preferido… =/

    Vocês já leram os outros livros da J.R. Ward da série Fallen Angels? Super recomendo.

    • Yasmin Dorneles dezembro 26, 2012 às 12:36 am #

      Não li ainda, mas está na minha lista de leitura… rsrs… Mas a série Fallen Angels não me “chama” como IAN, então sempre acabo protelando a leitura! bjs…

  5. Aline Rodrigues janeiro 3, 2013 às 2:12 pm #

    Eu estou na reta final de Amante Consagrado, e o que eu identifiquei e que me incomodou muito nesse livro e que aliás acontece desde o livro 4 (Amante Revelado) é que tem muitas pontas soltas, soluções sempre miraculosas, que desafiam as leis que ela mesmoa criou, muitas voltas na história, muitos personagens observados ao mesmo tempo e um invadindo o livro do outro… A história tem ficado muito prolixa, cansativa, complicada e perdeu aquele tom mais selvagem, sensual e até mesmo erótico.
    Não há mais sexo como antigamente e sendo assim, eu sinto que uma parte tão importante na vida dos vampiros – a vinculação – é simplesmente suplantada por um monte de enrolaçao.

    Enfim, eu esperava mais do V e do Phury, principalmente do Phury e não sei se vou seguir com a série.

    Mas, bem, essa resenha do livro d Payne foi realmente muito interessante, então vamos dar tempo ao tempo e quem sabe…

    Rsrs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: