Legend (Legend #01) – Marie Lu

28 dez

legendEditora: Prumo

Sinopse: Ambientado na cidade de Los Angeles em 2130 D.C., na atual República da América, conta a história de um rapaz – o criminoso mais procurado do país – e de uma jovem – a pupila mais promissora da República –, cujos caminhos se cruzam quando o irmão desta é assassinado e a ela cabe a tarefa de capturar o responsável pelo crime. No entanto, a verdade que os dois desvendarão se tornará uma lenda. O que outrora foi o oeste dos Estados Unidos é agora o lar da República, uma nação eternamente em guerra com seus vizinhos. Nascida em uma família de elite em um dos mais ricos setores da República, June é uma garota prodígio de 15 anos que está sendo preparada para o sucesso nos mais altos círculos militares da República. Nascido nas favelas, Day, de 15 anos, é o criminoso mais procurado do país; porém, suas motivações parecem não ser tão mal-intencionadas assim. De mundos diferentes, June e Day não têm motivos para se cruzarem – até o dia em que o irmão de June, Metias, é assassinado e Day se torna o principal suspeito. Preso num grande jogo de gato e rato, Day luta pela sobrevivência da sua família, enquanto June procura vingar a morte de Metias. Mas, em uma chocante reviravolta, os dois descobrem a verdade sobre o que realmente os uniu e sobre até onde seu país irá para manter seus segredos.

Tendo como tema a distopia, fiquei com receio, pois ultimamente tenho lido livros que simplesmente não usam apenas a mesma essência, como aproveitam cenas de outras obras, tentando camuflar o plágio, porem de forma muito pobre. Pois bem, Legend aborda também a desigualdade social, a utilização de pessoas de classes mais vulneráveis como experiências para alcançar algum objetivo daqueles que buscam o poder e dominação da sociedade.

Sempre deixo claro que gosto de novas ideias, ousadia e criatividade por parte do autor, Marie Lu, autora desta obra que me surpreendeu de uma forma positiva, apresenta uma história muito gostosa e viciante, claro que não é uma novidade discorrer de forma crítica sobre a desigualdade social, assim como a disputa pelo poder e o sistema corrupto do governo, mas… não posso deixar de elogiar a forma como ela apresenta, a escrita é fenomenal, demonstrando segurança e conhecimento sobre como pontuar cada aspecto trazido no decorrer do desenvolvimento.

Quanto ao romance, esta parte, é o que interessa a muitas pessoas, certo? Pois bem, novidades, nada de mundo escolar, menina insegura e sequela, nada mesmo de triângulo doentio amoroso. Day e June, como não se apaixonar por personagens como estes? São jovens protagonistas de suas próprias vidas, são autônomos e emancipados, fazem acontecer, respeitando a si e seus princípios.  A autora apresenta os pontos de vista de ambos, o que contribuiu para o desenvolvimento da trama de forma positiva.

É estranho estar aqui com você. Eu mal o conheço… mas às vezes parece que somos a mesma pessoa, nascida em dois mundos diferentes.

Ele fica em silêncio um instante; uma das mãos brinca distraidamente com meu cabelo. Aí divago um pouco:

— Eu imagino como seria se eu tivesse nascido para viver uma vida como a sua, e você tivesse nascido para viver uma vida como a minha. Eu me pergunto se seríamos como somos agora. Será que eu seria um dos mais altos soldados da República? E você? Seria um famoso delinquente?

Tiro a cabeça do ombro dele e o olho:

— Nunca lhe perguntei sobre esse nome de guerra. Por que Day?

— Porque cada dia significa novas 24 horas. Cada dia quer dizer que tudo é possível de novo. Você pode aproveitar cada instante, pode morrer num instante, e tudo se resume à um dia após o outro. — Ele olha para a porta aberta do vagão da ferrovia, onde faixas escuras de água cobrem o mundo. — E aí você tenta caminhar sob a luz.

Adorei a forma como Marie Lu resgata o amor entre a família, lealdade entre amigos, à forma como ela desconstrói toda uma crença de realidade, a construção do relacionamento entre adolescente de forma sadia, nada acontece de forma mágica. Espero realmente que o apego ao romance, que considero ser só um elemento da história, não seja considerado como foco principal por parte dos leitores, desconsiderando todo o enredo, o que é comum acontecer, pois acredito que, com outras obras a surgirem, muita coisa voltada à crítica pode acontecer, fazendo com que o romance seja apenas um bônus ao enredo.

Algumas perguntas não foram respondidas no decorrer da leitura, como por exemplo, de que forma os EUA é dividido entre Colônias e República, mas acredito que este cuidado a autora vai tentar retomar nos próximos livros. Fico com pé atrás quando existem questões a serem respondidas no próximo volume, pois não é comum o escritor deixar o leitor no vácuo, pois bem, teremos que aguardar.

Com certeza vale cinco estrelinhas, mesmo abordando temas já utilizados de forma tão abusiva por outras obras, ainda assim, a autora conseguiu desenvolver de uma forma mais rica e criativa. Não fiquei pensando nas cenas o quanto elas me recordavam alguma outra obra, então já vale a pena.

Angelita Silva

Essa resenha foi escrita pela leitora Angelita silva.

Beijos e até a próxima Obsessão!

Anúncios

Uma resposta to “Legend (Legend #01) – Marie Lu”

Trackbacks/Pingbacks

  1. Previsão de lançamento da sequencia de “Legend”, de Marie Lu « Obsessão Compulsiva - janeiro 21, 2013

    […] Você pode ler a resenha da Angelita de “Legend” aqui. […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: