Archive | Série Fuga de Furnace RSS feed for this section

Solitária (Série Fuga de Furnace #02) – Alexander Gordon Smith

2 jan

solitaria Editora: Benvirá

Sinopse:  Quando mandaram a Sala Dois pelos ares, Alex, Zê, Gary e Toby acreditaram ter alcançado a tão desejada liberdade. Porém, o que parecia um sonho acabou se transformando em um de seus piores pesadelos. A explosão os jogou nas profundezas de Furnace. Nada de ar puro, apenas escuridão e labirintos de pedra. Com os guardas e o diretor da prisão em seu encalço, os garotos sabem que é uma questão de tempo até voltarem para a cela. O verdadeiro horror de Furnace só está começando. Recapturados, eles agora precisam encarar a solitária – nada mais que um buraco no solo com apenas uma porta, trancada pelo lado de fora e vigiada pelos ternos-pretos e pelos temidos Ofegantes. Seu destino? Serem devorados pelos ratos que povoam as entranhas de Furnace, enlouquecer dentro da cela úmida ou… tentar escapar novamente.  

Iniciei a leitura bastante ansiosa pela continuação da cena em que parou Encarcerados, pra ser honesta, esse sentimento de virar cada página me acompanhou no desenvolvimento de toda a trama. O livro, conforme já citado na resenha anterior, é de ficção científica, porém o toque de distopia, só acrescenta de forma positiva para uma leitura mais rica.

Solitária é uma literatura com enredo muito parado, mas ao mesmo tempo tem suas cenas de ações, ambas as partes são muito boas. A primeira mostrando o quanto ficar parado, pode levar uma pessoa a loucura, no entanto, nesse contexto, é interessante salientar a forma como as alucinações contribuem para manter a sanidade de Alex. Continue lendo

“Encarcerados” de Alexander Gordon Smith – Resenha Série Fuga de Furnace #01

1 nov

Resenha feita pela leitora Angelita Silva.

Editora: Benvirá

Sinopse: De um dia para outro, Alex Sawyer passou de valentão a delinquente juvenil. Os trocados arrancados dos garotos na escola já não eram suficientes, e, com a ajuda de seu melhor amigo, Toby, começou a cometer pequenos furtos na vizinhança. Até que uma noite, homens fortes, de terno preto, e um esquisitão usando uma máscara de gás cruzaram o caminho dos dois. Toby foi cruelmente assassinado e Alex, preso e acusado pela morte do amigo. Seu novo lar? A Penitenciária de Furnace, um buraco – literalmente – para onde todos os garotos condenados são enviados, e de onde só é possível sair morto. Com guardas sádicos e criaturas terríveis responsáveis pela segurança, Furnace é o inferno. O lugar é infestado de criminosos – como as perigosas gangues Caveiras e os Cinquenta e Nove – mas também há muitos garotos que, como Alex, foram presos por crimes que não cometeram. Como escapar e provar sua inocência? Em quem confiar? O que na verdade era Furnace: um reformatório? Um depósito? Ou, pior, um laboratório maligno?

Não sou muito detalhista, ou podemos dizer quase nada… então, não foi pela capa de “Encarcerados”, que senti vontade de ler.

Através de uma conversa com uma amiga, ela me falando sobre o protagonista e outros personagens, assim como os sentimentos dela em relação à trama e a respeito do  suspense do livro.

Fiquei interessada na temática, ainda mais por fugir do modismo, no que tange a romance e sobrenatural.

Ao iniciar a leitura, o livro já me surpreendeu, por ser de uma perspectiva masculina, e a forma com que o autor amarra a vida de Alex – um jovem de 14 anos – que inicia sua adolescência cometendo pequenos delitos, o que o faz se sentir poderoso, e a partir daí, ele passa a ter um comportamento arriscado para si e seus companheiros… Até que Alex e o melhor amigo são pegos e “policias” assassinam Toby, fazendo com que o protagonista leve a culpa e seja sentenciado a prisão perpetua. Continue lendo

%d blogueiros gostam disto: