Archive | Trilogia O Inferno De Gabriel RSS feed for this section

“Gabriel’s Rapture” de Sylvain Reynard – Resenha Série O Inferno de Gabriel #2

22 out

Antes de ler minha resenha de “Gabriel’s Rapture” leia a resenha do primeiro livro da série de Sylvain Reynard, “Gabriel’s Inferno”.

Agora que você já leu a resenha do primeiro volume  deve ter percebido minha observação no final, onde afirmo que não iria ler o segundo livro, eu não menti, eu realmente não queria ler, mas fui coagida por alguém completamente cruel e sem coração que não teve nem um pingo de dó de uma pobre pessoa que não suporta romances melosos e cansativos.

E garanto a você, vai ter volta! Viu Yasmin! É sério, se vocês nunca mais ouvirem falar da “Cruela Dorneles” é porque eu a matei.

Pronto, desabafei. Vamos a descrição detalhada de como torturar lentamente e refinadamente uma pessoa.

O livro começa exatamente no ponto onde o anterior parou.

Professor Gabriel Emerson embarcou em um apaixonante, até clandestino caso com sua ex-aluna, Julia Mitchell.

Sequestrada em um feriado romântico na Itália, ele a ensina os mais deliciosos prazeres sensuais do corpo e os arroubos do sexo.

Mas quando voltam, a felicidades deles é ameaçada por uma conspiração de alunos, política academicas e ex-amantes ciumentas.

Quando Gabriel for confrontado com a administração da universidade, ele sucumbirá ao destino de Dante? Ou ele lutará para manter Julia, sua Beatrice, para sempre?

Em “Gabriel’s Rapture”, a brilhante sequência para o romance de estréia de grande sucesso, “Gabriel’s Inferno”, Sylvain Reynard tece uma história de amor única que vai tocar a mente, corpo e a alma dos leitores, para sempre. (ou quase).

Sim, sem nenhum espaço de tempo, “Gabriel’s Inferno” termina com os incansáveis apaixonados dormindo depois do santo sexo sofrido e “Gabriel’s Rapture” começa com ambos acordando.

Mas, não é apenas um “acordar” romântico regado a sorrisos bobos e um “bom dia amor” -escrito poeticamente em forma de alguma citação de Dante ou Shakespeare – não, infelizmente não é tão simples.

Enquanto Gabriel observa sua amada dormir (estranho habito adquirido pela matriz sobrenatural, Edward) Julia tem um pesadelo terrível, onde ela está sozinha na floresta e procura por Gabriel em desespero porque ele havia a abandonado (estranho Dejá vu do pesadelo de sua matriz, Bella) e então temos mais uma das cansativas e poéticas conversas, declarações e reafirmações de amor regadas a arrependimentos, culpa e perdão. Continue lendo

“Gabriel’s Inferno” de Sylvain Reynard – Resenha Série O Inferno de Gabriel #1

1 out

Enigmático e sexy, Professor Gabriel Emerson é um bem respeitado especialista em Dante durante o dia, mas à noite, ele dedica-se a uma desinibida vida de prazer. Ele usa sua notável boa aparência e sofisticado charme para satisfazer todos os seus desejos, mas é secretamente torturado por seu passado obscuro e consumido por uma profunda crença de que está além de qualquer esperança e redenção.

Quando a doce e inocente Julia Mitchell se matricula como estudante de graduação em seu curso, a atração e misteriosa conexão entre eles não apenas o faz arriscar sua carreira, mas o leva a uma viagem em que seu passado e presente colidem.

Uma intrigante e pecaminosa exploração de sedução, amor proibido e redenção, “Gabriel´s Inferno” é um conto cativante e selvagemente apaixonante sobre a fuga de um homem de seu próprio inferno pessoal enquanto tenta ganhar o impossível… perdão e amor.

Antes de tudo tenho um ponto a esclarecer, diferente de muitas fanfics por aí esse livro foi bem escrito.

Pena ter se prendido a sua origem.

A série “O Inferno de Gabriel”  faz parte da primeira geração de fanfics “Crepúsculianas” que foram transformadas em livros. Eu sei o que vocês devem estar pensando, mais um “Cinquenta Tons de Cinza”?

A resposta é Sim e Não. Como já li muitas fanfic sei que a maioria das que foram inspiradas em “Crepúsculo” extrapolam a frustração que toda a saga e a Lua de Mel de Ed e Bella gerou em seus leitores. Então foi uma surpresa agradável o tom sensual e até mesmo erótico da narrativa.

E diferente de “50 Tons”, “Gabriel’s Inferno” foi bem escrito, o único problema é que ele é enorme. Porém, não um enorme gostoso que você adora, é aquele enorme que faz você ficar tenso querendo pular longo toda a ladainha e chegar a partes importantes! Que são poucas, e logo vou dizer a vocês quais foram, mas antes vamos falar um pouco do livro em geral. Continue lendo

%d blogueiros gostam disto: